Inspirações e homenagens (ou covers… oO)

22 08 2008

Meu caro amigo Léo me mandou um link agora a pouco, que me deixou maravilhado…

Whiplash, do Metallica, executada pelo Motörhead

Motörhead
The ace of spades!

E disse na seqüência: “posta isso no seu blog, man!”
Bom, ao invés de eu apenas postar o cover em si, vou falar um pouco sobre… covers!

O que é um cover?
Segundo a wikipédia: “Versão cover ou simplesmente cover, é uma regravação de uma canção previamente gravada. Muitos músicos tocam covers como forma de tributo a quem a gravou pela primeira vez. Outros formam as chamadas bandas covers, que além de tocarem as músicas, usam roupas e se apresentam da mesma forma que o original.”.

Bandas em começo de carreira ou de garagem, sempre que vão fazer shows ou ensaios costumam tocar músicas de bandas que gostam. Quando atingem um sucesso relativo, e gravam um CD, costumam colocar um cover perdido para incrementar. E se atinge um sucesso consideravelmente grande, se dão ao luxo de, se resolverem achar isso interessante, fazer um álbum inteiro de covers! Bandas como Metallica (Garage Inc.), Guns n’ Roses (The Spaghetti Incident?) e Duran Duran (Thank You) são exemplos de bandas que fizeram álbuns inteiros para homenagear sues heróis.

Duran Duran Thank You
Capa de Thank You, álbum da banda Duran Duran

Alguns Covers

Eu já ouvi diversos covers na minha vida. Vou citar alguns que achei realmente interessante (mas sem analisar… não tenho saco pra isso no momento xD)!

– Metallica fazendo Bob Seger (Turn the Page), no álbum “Garage Inc.”
Metallica Bob Seger

– Sonata Arctica fazendo Scorpions (Still Loving You) no álbum “Successor”
Sonata Arctica Scorpions

– Helloween fazendo Abba (Lay All Your Love On Me) no álbum “Metal Jukebox”
HelloweenABBA

– Alanis Morissette fazendo The Police (King of Pain) no álbum “MTV Unplugged”
Alanis Morissette The Police

Covers intragáveis

Alguns eu ouvi… outros, só ouvi dizer. Agora, imagine você ouvido coisas assim…

– Shakira fazendo AC/DC (Back in Black) no álbum “Live and Off the Record”
Shakira AC/DC

– Paulo Ricardo fazendo Queen (Love of my Life) e ainda alterando o nome da música (Felicidade!!) no álbum “O Amor me Escolheu”
Paulo Ricardo Queen

– Tori Amos fazendo Slayer (Raining Blood) no álbum “Strange Little Girls”
Tori Amos Slayer

Covers que gostaria de ouvir um dia

Eu realmente tenho curiosidade de ouvir certas bandas fazendo certos covers algum dia. Seria realmente divertido, por assim dizer!

– André Matos fazendo Helloween (Eagle Fly Free)
– Iced Earth fazendo Metallica (Fade to Black)
– Iron Maiden fazendo Black Sabbath (Neon Knights)
– Michael Kiske fazendo Queensrÿche (Queen of the Reich)

Basicamente, é isso que eu tenho pra falar sobre covers.
=)


Personagens de Azumanga Daioh fazendo um “cover” de Final Fantasy VII! xD

Ao som de:
Blue Dream (Saint Seiya) – Hironobu Kageyama

Anúncios




Vai viajar no espaço? Não esqueça seu guia!

20 08 2008

Douglas Noël Adams (1952-2001) era um escritor e comediante inglês. Como muitos sabem, o humor inglês é extremamente refinado e inteligente, e ele não ficava atrás! Trabalhou com os rapazes do Monty Python an finada série “Monty Python Flyin’ Circus), escrevendo alguns esquetes.

Douglas Adams
O autor

Em idos de 1978, entra no ar, na rádio BBC de Londres um programa chamado “The Hitchhiker’s Guide to the Galaxy” (por aqui conhecido como “O Guia do Mochileiro das Galáxias”). Com o estrondoso sucesso, Adams resolveu transformá-las em livros, o que gerou uma trilogia de quatro livros (?!?), além de um quinto livro, que fecha a série, mas que oficialmente não faz parte da mesma.

O guia
Olha o livro aí!

O livro trata da história de Arthur Dent. Um típico inglês que vive numa cidade tranqüila. Até que numa manhã resolvem destruir a casa dele, para que pudessem fazer uma rodovia, que passa EXATAMENTE por onde a casa dele se encontra. Ele tenta argumentar, mas é inútil. Em certo momento, surge Ford Prefect (nome genial!), e diz que precisa falar com ele. Eles vão ao bar, e Ford diz que o mundo será destruído. Arthur jura que ele está louco, até o momento em que sua casa realmente é destruída. Ele sai como um louco, mas era tarde demais.
Naquele mesmo momento, naves amarelas e horrívelmente quadradas voavam pelo planeta. De repente, uma voz sibilou pelo mundo inteiro. Ela dizia que a Terra seria destruída para dar lugar a uma rodovia intergaláctica. Todos entram em pânico, menos Ford, que, perto dos destroços da casa de Arthur, pegou pra ele uma toalha. Segundo ele, o objeto mais importante para um mochileiro das galáxias. Senão o objeto mais importante para qualquer pessoa. Após isso, ele pega seu aparelho que permite a ele pegar carona em espaçonaves e, junto com Arthur, partem para uma das naves vogons que ali estavam. E alguns momentos depois, a Terra virou poeira espacial.

Ford e Arthur
Vamos nessa!

Em outro ponto da galáxia, num planeta muito distante, Zaphod Beeblebrox, o presidente da galáxia, estava navegando em seu barco delta com drive iônico (uma das marcas de Adams: nomes absurdamente complexos!). Ele estava a caminho de uma solenidade: a ‘inauguração’ da nave Coração de Ouro, uma nave que era movida por um motor de Geração de Improbabilidade Infinita. Durante a cerimônia, ele simplesmente resolve roubá-la. E o faz, juntamente com Trillian, uma garota da Terra que ele havia pegado em uma passagem pelo planeta.

Zaphod
Meet the president!

Enquanto isso, na nave vogon, Arthur e Ford são descobertos, após Ford lhe mostrar o que é o Guia do Mochileiro das Galáxias, e como aquilo era útil para um viajante espacial. Eles são levados à presença de Prostetnic Vogon Jeltz, o líder da frota de naves de demolição vogon. Vogons odeiam que pessoas peguem carona em suas naves e, após um poema (o poema vogon é considerado o 3º pior do univereso!), os jogam pra fora da nave.

Prostetnic Vogon Jeltz
Vou lhes contar um poema…

Mas, graças a uma improbabilidade, naquele exato momento, a Coração de Ouro aparece no exato quadrante do universo em que eles se encontravam caindo no vazio imenso do nada, e os resgata. Trillian diz a Zaphod que alguém, por algum motivo, havia invadido a nave.

Trillian
Ela não é uma graça?!

Zaphod manda o robô da nave, Marvin, ‘recepcionar’ os viajantes que inadvertidamente haviam caído dentro daquela espaçonave. Marvin é um robô com um cérebro do tamanho de um planeta e, por isso, sempre está deprimido e reclamando de tudo e todos. Mas vai obedientemente recepcionar os intrusos.

Marvin, the Paranoid Android
Ah, meu Deus, estou tão deprimido!

Eles então são levados para junto de Zaphod e Trillian. Aí descobrimos que Arthur já conhecia Trillian (ou Tricia McMillian, seu verdadeiro nome) e Zaphod, que era um primo meio distante de Ford. A partir daí, eles vão atrás do planeta Magrathea e da pergunta fundamental sobra a vida, o univeso e tudo o mais!

Arthur,  Zaphod, Ford e Trillian
Vamos nessa!

Nessa parte, o livro e o filme, lançado em 2005, se diferenciam. O filme mostra Humma Kavula, o candidato que perdeu para Zaphod nas eleições de presidente da galáxia, o que não é citado em nenhum momento no livro. Além de uma parada no planeta dos vogons, em que eles tinham que salvar Trillian, que tinha sido presa.

Explicações: O que é o Guia do Mochileiro das Galáxias?

É um guia, feito para substituir a Grande Enciclopédia Galáctica. Ele contém informações sobre TUDO o que existe no universo: planetas, pessoas, restaurantes, toalha, enfim, coisas absolutamente úteis para um mochileiro! Na sua capa, está escrito a frase que tem extrema importância em horas de desespero: “NÃO ENTRE EM PÂNICO!“.

Algumas curiosidades

– O livro sempre trata do número 42. Ele é a resposta para a pergunta fundamental sobre a vida, o univeso e tudo o mais. Mas… qual é a pergunta, afinal?
– Os outros livros da série são, na ordem: O Restaurante no Fim do Universo, A Vida, o Universo e Tudo o Mais, Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes e, segundo alguns sites, Praticamente Inofensiva.
– O livro demonstra a importância que a toalha significa para um mochileiro. Segundo a Wikipédia: “A ficção de O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams, descreve uma toalha (do tipo usado para se enxugar) como uma das coisas mais úteis para um Mochileiro das Galáxias. Pode ser usada para se proteger do frio, da chuva, ser amarrada na forma de venda nos olhos no caso de precisar evitar olhar para algo, como uma grande altura ou uma Terrível Besta de Traal (um animal estonteantemente burro, que acha que, se você não pode vê-lo, ele também não pode ver você – estúpido feito uma anta, mas muito, muito voraz); pode também ser usada para evitar contato com o chão durante a noite, caso queira ou precise dormir ao relento e pode ser usada para se secar após um banho se estiver seca e limpa o suficiente.”
– O livro gerou também uma série de TV.
– Exsite o Dia da Toalha. Bizarro? Nem tanto, pois foi uma forma dos fãs homenagearem Douglas Adams. Mas… as pessoas comemoram da seguinte forma: passam o dia todo andando por aí com suas toalhas.

Dia da toalha
Pessoas loucas comuns comemorando a data

– Todas as fotos do post (com exceção das fotos de Douglas Adams e da capa do livro) são do filme “O Guia do Mochileiro das Galáxias”, de 2005

Ao som de: Master Passion Greed – Nightwish





Sobre o Metallica, e o que esperar de “Death Magnetic”?

19 08 2008

Metallica em 1983
A banda no começo…

O Metallica (hoje formado por James Hetfield nos vocais e guitarra, Lars Ulrich na bateria, Kirk Hammet na guitarra solo e Robert Trujillo no baixo) foi uma das bandas precursoras do Thrash Metal, juntamente com outras bandas da Bay Area e outras (como Pantera, Slayer, Megadeth etc.). Seu primeiro álbum, “Kill ‘Em All” (1983), era considerado, inclusive, Speed Trash Metal (velocidade pura, mano! xD).

Kill 'em All
Velocidade nua e crua!

Nos anos subsequentes, ainda sairam álbuns melhores e mais técnicos (“Ride the Lightning” [1984], “Master of Puppets” [1986]), que elevaram a banda a um nível meteórico de sucesso de crítica e público! Mas durante a turnê do Master of Puppets, a banda perdeu seu baixista (Cliff Burton) num trágico acidente.

Cliff Burton
Uma grande perda no mundo da música…

Para substituí-lo, a banda traz Jason Newsted. Logo após a entradae de Jason, lançam o álbum de covers “Garage Days Re-Revisited” (1987) e, na seqüência, o clássico disco “…and Justice for All” (1988). A banda ganhou uma indicação ao Grammy, mas foi derrotada pelo Jethro Tull, numa controversa decisão. Após isso, lançaram o álbum homônimo “Metallica” (também conhecido como “Black Album”), em que fãs alegaram que a banda havia se vendido, pois o álbum soava absolutamente comercial, apesar de ainda ser pesado!

Metallica album
Capa bacanuda, essa!

Após um hiato de 5 anos, a banda volta a lançar um disco de inéditas. Na verdade, foi 1 álbum dividido em 2, quase o que o Guns n’ Roses fez com seus “Use Your Illusion I e II”: “Load” (1996) e “ReLoad” (1997). É fato que o “ReLoad” é considerado uma “sobra” de músicas não-utilizadas em “Load”, mas mesmo assim, fãs antigos (ou os que sobraram após o lançamento do “Black Album”) malharam de vez a banda, tanto pela mudança da sonoridade como pelo visual: cabelos curtos e um visual “comportado” fizeram com que a banda fosse execrada pelos seus fiéis fãs, mas também ajudaram a arrebatar novos fãs (eu conheci o Metallica logo ápós o lançamento do “ReLoad”, com a música “The Memory Remains”, em 1997)!

Load back
Nenhuma semelhança com aqueles caras lá de cima…

Após isso, a banda lança outro álbum de covers: “Garage Inc.” (1998), duplo, com vários novos covers no disco 1 e outros já conhecidos no disco 2. No ano seguinte, a banda vem com um projeto audacioso: “S&M” (1999), gravado ao vivo, em 2 dias, com a Orquestra Sinfônica de São Francisco, gerando mais um álbum duplo. Particularmente, foi um trabalho excelente da banda, em que as músicas revisitadas (e mais 2 novas: “No Leaf Clover” e “-(minus)Human”) ficaram muito boas com a entrada da orquestração. Mas, como sempre, tinham fãs para torcerem o nariz.

S&M
A capa do CD com a orquestra ao fundo

Após isso, eles lançaram uma música para a trilha sonora do filme “Missão: Impossível-2” (2000), chamada “I Disappear”. Uma música bem legal, seguindo um pouco a linha dos “Load/ReLoad”, só que melhor! Depois disso, brigas internas levaram a saída do baixista Jason Newsted, e uam crise se instaurou na banda. Após 6 anos sem lançar um álbum de estúdio, eels resolvem voltar a gravar um disco de inéditas e, ao mesmo tempo, procuravam por um novo baixista. Com o álbum pronto, e as linhas de baixo gravadas por Bob Rock (produtor da banda), a busca por um baixista terminou com a entrada de Robert Trujillo, vindo da banda de Ozzy Osbourne. E assim, a banda lança o álbum “St. Anger” (2003). Ele viria a ser o disco mais criticado da história da banda, principalmente pela bateria. Lars parece estar tocando numa lata de alguma coisa! E os solos de guitarra, que eram marcantes, despareceram. Isso era claramente um flerte com o Nü Metal.

St. Anger capas
Independente da cor da capa, um álbum péssimo!

Após as severas críticas (apesar de, 5 anos depois, eu perceber que algo nele não é tããão ruim assim) e 5 anos sem lançar absolutamente nada de novo (exceto o DVD “Some Kind of Monster” (2004), a banda está mais uma vez saindo com um disco de inéditas, chamado “Death Magnetic” (2008). Um trabalho junto com a internet, com um site chamado “Mission: Metallica”, disponibilizando downloads gratuitos de shows antigos e pagos de shows recentes, a banda parece ter voltado ao caminho certo. Críticos e algumas pessoas que já ouviram trechos de músicas dizem que, mesmo não sendo aquele Metallica da década de 1980, algo de bom pode estar vindo!

Death Magnetic
A capa do novo álbum

Enfim, eu ainda estou aguardando. Já é possível ouvir uma das novas músicas, que rolou num show recentemente: “Cyanide”. É uma boa música, e grande. Mas eu ainda prefiro ouvir o álbum de estúdio antes de dizer algo.

Ao som de: All That Remains – Circle II Circle





Azumanga Daioh (anime)

18 08 2008

Como eu ainda não tive a chance de encontrar o mangá pra ler, vou falar sobre esse anime.

Azumanga Daioh é um anime extremamente divertido, em que 6 colegas de classe (no início são 5, mas no meio da série outra se junta a essa turma) estão vivendo a vida nos 3 últimos anos de colégio, e passam a estar sempre juntas, seja em aulas, passeios ou festivais do colégio.

A série é composta de 26 episódios, sendo dividido em 5 curtas, que eram transmitidos durante a semana separadamente, e no fim de semana passavam na seqüência.

As Personagens

Chiyo-chan
A garota gênio da turma, aos 10 anos entra no que seria o nosso primeiro ano do colegial, e conhece suas novas amigas. É rica, e sempre que as garotas decidem fazer algo, escolhem a casa dela, seja para estudar ou para apenas se divertir. Também possui uma casa de campo, que as garotas sempre vão nas férias de verão.
Chiyo-chan

Osaka
Seu verdadeiro nome é Ayumu Kasuga, mas como ela veio da região de Osaka, as garotas a apelidam dessa forma. Uma garota estranha, desligada e sempre está viajando na maionese, de alguma forma. Suas frases são absolutamente incríveis!! Como no momento em que ela diz “eu estava no meu quarto, quando senti o cheiro de um peido que não era meu…”. Particularmente, minha personagem favorita!
Osaka

Tomo-chan
A mais espivetada da turma, está sempre enérgica e é extremamente competitiva, apesar de não ser nada esportiva. Detesta estudar, mas no final sempre se esforça e acaba passando de ano.
Tomo-chan

Yomi-san
A garota-nerd da turma. Ela é esforçada nos estudos e sempre tem boas notas, perdendo apenas pra Chiyo-chan. Ela tem problemas com seu peso, e vive fazendo dietas, um motivo a mais pra sua amiga desde o primário, Tomo, fazer várias piadas com ela!
Yomi-san

Sakaki-san
Ela é a mais tímida da turma. Atlética, ótima em vários esportes, mas não faz parte de nenhum clube na escola. Ela adora coisas fofas, principalmente gatos (neko-chan), mas sempre que ela tenta acariciá-los, ou eles fogem ou mordem a sua mão. Ela também é bem alta e “desenvolvida” da turma, coisa que ela não consegue se acostumar.
Sakaki-san

 

Kagura-san
Ela aparece no meio da série, e quando as garotas vão para o segundo ano, Kagura entra na turma. Ela é do clube de natação, e tem Sakaki como uma rival! Vive bronzeada por causa dos treinos na piscina.
Kagura-san

Os Professores

Como estamos em uma escola, claro que teríamos que ter professores!!! Apenas três são mostrados durante a série.

Yukari-sensei
A professora de Inglês. Altamente competitiva, sempre tenta vencer a classe de sua amiga de infância e rival (Kurosawa-sensei, ou Nyamo, como ela sempre a chama) nos festivais de esporte. Adora beber e tirar sarro de Nyamo!
Yukari-sensei

 

Kurosawa-sensei (ou Nyamo)
A professora de Educação Física. Ela é muito simpática e atenciosa, praticamente o inverso da Yukari. Apesar de procurar um namorado, nunca consegue um, um motivo pra Yukari a perturbar e ficar relembrando o passado!
Kurosawa-sensei

Kimura-sensei
O professor de Literatura. Ele é a pessoa mais estranha da série. Vive com a bovca aberta (nunca entendi o motivo), e adora ver as garotas com trajes de banho (o episódio da piscina é impagável!). Mas, durante a série, descobrimos que ele é casado e tem uma filha (!!!), e sua esposa é absolutamente atrapalhada!
Kimura-sensei

Neko-chan

A série sempre tem algum gato aparecendo, seja pra fazer a Sakaki tentar acariciá-lo ou para a Kagura espantá-lo.
Neko-chan

As Músicas

A abertura do anime se chama Soramimi Cake, e o encerramento Raspberry Heaven, ambos da banda Oranges & Lemons.
(fico devendo a foto… xP)

Bom, é isso… eu terminarei de ver o anime essa semana. Faltam apenas 4 episódios!!!

FUI!!

Ao som de: Watching in Silence – Circle II Circle





A princípio…

18 08 2008

Bom, a muito tempo eu não mexo com um blog, portanto, vou iniciar esse por diversão…

Por enquanto, vou tratar de: filmes, livros, mangás, animes, programas de TV e até, quem sabe, outras coisas… o tempo nos dirá!