Brevíssimos Comentários sobre Quando as Luzes se Apagam

23 08 2016

Eu raramente falo sobre filmes de terror (acho que exceto o que falei do Stephen King aqui não teve mais nada). Mas recentemente vi ao menos dois ótimos filmes do gênero: Invocação do Mal (que sim, só vi esse ano) e o filme que quero falar sobre hoje, Quando as Luzes se Apagam (Lights Out).

estreia-do-filme-quando-as-luzes-se-apagam-sinopse

O filme é baseado num curta de 3 minutos, que mostra uma mulher no quarto que, ao apagar a luz, vê uma silhueta na porta. Mas ao acender de novo a luz essa silhueta desaparece. Cada vez que ela faz isso a silhueta se aproxima mais e mais dela, até que RÁ!

No longa essa história é mostrada de modo mais detalhado. Ao invés de dar uma sinopse minha vou deixar aqui o trailer.

O filme me surpreendeu extremamente, com personagens que fogem do normal dos filmes de terror mais recentes (quando assistirem vão entender o que eu quis dizer).

Vale cada centavo do ingresso, vão assistir!!

Anúncios




Breves Comentários Sobre Esquadrão Suicida

4 08 2016

Vou tentar dar um panorama do que achei de Esquadrão Suicida sem dar (muito) spoiler.

Começo dizendo que a crítica, de novo, exagerou. Mas acho que não no nível de Batman v Superman, que digo que a crítica foi absolutamente absurda. A do Esquadrão tocou em pontos que achei realmente que o filme pecou, mas ainda assim dá pra se divertir bastante com o filme!

temp5393

Will Smith (Pistoleiro), Margot Robbie (Arlequina) e Viola Davis (Amanda Waller) roubam a cena com atuações incríveis! Jay Hernandez e seu Diablo (um personagem com uma profundidade inesperada e muito bem vinda) e Jai Courtney com seu Capitão Bumerangue (o alívio cômico funcional) foram as gratas surpresas pra mim. O Rick Flag de Joel Kinnaman se mostrou também bastante interessante. O Killer Croc de Adewale Akinnoue-Agbaje ficou MUITO apagado, com pouquíssimos momentos onde tenta ser alívio cômico (mas mal consegue). Cara Delevigne e sua Magia começam incríveis, mas com o passar do filme caem de qualidade. Já o Coringa de Jared Leto não se parece quase nada com o Coringa, mas consegue alguns bons momentos.

Com relação ao filme como um todo eu acho que foi uma bagunça pra tentar mostrar quem era quem, mas ficou tudo MUITO corrido (mais do que em Batman v Superman, que apesar da velocidade das coisas achei que funcionou muito bem). A motivação para o time se unir de uma vez foi algo que tenta passar aquela coisa de “somos maus, mas ainda temos algo de bom” que eu gostei e desgostei ao mesmo tempo. A sexualização da imagem da Arlequina foi um pouco exagerada, mas não vejo que isso influi no filme de modo algum, porque souberam trabalhar isso sem tornar algo exagerado DEMAIS. O final foi uma vitória da amizade entre bandidos (próximo do que diz o Pistoleiro antes da batalha final).

Em resumo: vão sem expectativa alguma, e talvez vocês consigam aproveitar bem mais!