A DC no Cinema, Dez Anos Depois de The Dark Knight

22 01 2018

Em setembro de 2008, cerca de um mês e meio após a estréia de Batman: O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight) eu resolvi escrever sobre o filme, desde o momento que sucedeu o fim de Batman Begins, passando pela escolha de Heath Ledger para o papel do Coringa, sua morte prematura meses antes da estreia do filme e, quando enfim o filme chegou aos cinemas, e pudemos ver uma obra prima e uma atuação magistral de Ledger, que acabou sendo premiado postumamente em diversas premiações, incluindo um Oscar de Melhor Ator Coadjuvante.

Hoje completa dez anos da morte de Ledger, graças a uma overdose acidental de remédios que ele ingeriu (dizem que ele começou a toma-los graças a loucura que foi sua preparação para viver o Coringa, mas nunca confirmaram isso… e hoje eu acho pouco provável também). Como o texto de 2008 já disse muito sobre o filme à época, vou falar mais sobre como ele está dez anos depois, e como ele (e a trilogia Batman de Christopher Nolan) acabou sendo uma bênção e uma maldição para a DC nos cinemas.

A visão mais sombria de Nolan foi certeira para essa trilogia, num momento onde só tínhamos ali os filmes do Homem Aranha e dos X-Men como parâmetro (e um péssimo Superman: O Retorno na conta da DC), e a Marvel dando o pontapé inicial do que ficaria conhecido como o Marvel Cinematic Universe com Homem de Ferro (até então era apenas uma aposta da Marvel, que deu muito certo, como dez anos puderam provar). A criação, o auge, a queda e a redenção do Morcego em três atos foi um marco na história do cinema, e que levou a mesma DC a convocar Nolan como produtor de seu reinício do Superman, com Homem de Aço (vivido por Henry Cavill e dirigido pelo “visionário diretor de 300” Zack Snyder). O problema é que a visão mais dark do Superman provou-se um erro, já que o personagem é praticamente a luz de esperança que a DC tem, e então Nolan decidiu se afastar mais do que então ficou conhecido como DC Extended Universe, no que agora sabemos ser uma falha IMENSA da DC de querer fazer o mesmo que a Marvel fez, sendo que no começo a própria DC disse que não era o jeito deles de fazer as coisas.

Bom, após Homem de Aço tivemos ainda Batman vs Superman, Esquadrão Suicida, Mulher Maravilha e Liga da Justiça, onde apenas Mulher Maravilha escapou do massacre da crítica (e de grande parte do público), sendo que esses filmes só são mesmo defendidos pelos fãs da DC (que muitas vezes se provam desprovidos de uma crítica mais sensata, se bem que os fãs da Marvel também sofrem desse problema). Ao perceber que foi tudo um grande erro, agora a DC está revendo o DCEU, e pretende lançar mais filmes fechados (que normalmente são um acerto) e ainda não sabem bem o que fazer com a história até agora, principalmente com o lançamento em 2018 do filme solo do Aquaman.

Agora, falando mais um pouco sobre The Dark Knight após esses dez anos. Esse é um filme que vai continuar envelhecendo bem, porque é uma obra tão bem encaixada, com um enredo pra lá de incrível, cenas espetaculares (principalmente as filmadas em IMAX) e uma execução geral que eu só fui ver novamente em Mad Max: Fury Road, praticamente sete anos depois. Eu imagino que mesmo a DC/Warner conseguirá, dificilmente, fazer um filme daquele nível dentro do seu universo, seja ele estendido ou fechado. Eu gosto de certos detalhes nos filmes do DCEU (menos em Esquadrão Suicida, esse nada escapa). Homem de Aço é um filme subestimado, com o melhor vilão da DC pós trilogia do Nolan (e pra mim um dos melhores vilões dos filmes de herói nesses dez anos, entre DC, Marvel ou outras). Batman vs Superman teve momentos bacanas, como a Mulher Maravilha ou até mesmo a batalha contra o Apocalypse. Mulher Maravilha era pra ser o melhor filme do DCEU até agora, mas com um terceiro ato MEDÍOCRE e um vilão horrível o filme perdeu MUITA força, mas mesmo assim considero o segundo melhor do DCEU. Liga da Justiça foi um filme divertido, com o verdadeiro Superman finalmente dando as caras e acaba sendo o melhor dessa leva até o momento.

Agora o que podemos fazer é esperar a DC ressurgir das cinzas, ou apenas continuarmos apostando nas animações que ela faz, que normalmente são incríveis!





Brevíssimos Comentários sobre Quando as Luzes se Apagam

23 08 2016

Eu raramente falo sobre filmes de terror (acho que exceto o que falei do Stephen King aqui não teve mais nada). Mas recentemente vi ao menos dois ótimos filmes do gênero: Invocação do Mal (que sim, só vi esse ano) e o filme que quero falar sobre hoje, Quando as Luzes se Apagam (Lights Out).

estreia-do-filme-quando-as-luzes-se-apagam-sinopse

O filme é baseado num curta de 3 minutos, que mostra uma mulher no quarto que, ao apagar a luz, vê uma silhueta na porta. Mas ao acender de novo a luz essa silhueta desaparece. Cada vez que ela faz isso a silhueta se aproxima mais e mais dela, até que RÁ!

No longa essa história é mostrada de modo mais detalhado. Ao invés de dar uma sinopse minha vou deixar aqui o trailer.

O filme me surpreendeu extremamente, com personagens que fogem do normal dos filmes de terror mais recentes (quando assistirem vão entender o que eu quis dizer).

Vale cada centavo do ingresso, vão assistir!!





Breves Comentários Sobre Esquadrão Suicida

4 08 2016

Vou tentar dar um panorama do que achei de Esquadrão Suicida sem dar (muito) spoiler.

Começo dizendo que a crítica, de novo, exagerou. Mas acho que não no nível de Batman v Superman, que digo que a crítica foi absolutamente absurda. A do Esquadrão tocou em pontos que achei realmente que o filme pecou, mas ainda assim dá pra se divertir bastante com o filme!

temp5393

Will Smith (Pistoleiro), Margot Robbie (Arlequina) e Viola Davis (Amanda Waller) roubam a cena com atuações incríveis! Jay Hernandez e seu Diablo (um personagem com uma profundidade inesperada e muito bem vinda) e Jai Courtney com seu Capitão Bumerangue (o alívio cômico funcional) foram as gratas surpresas pra mim. O Rick Flag de Joel Kinnaman se mostrou também bastante interessante. O Killer Croc de Adewale Akinnoue-Agbaje ficou MUITO apagado, com pouquíssimos momentos onde tenta ser alívio cômico (mas mal consegue). Cara Delevigne e sua Magia começam incríveis, mas com o passar do filme caem de qualidade. Já o Coringa de Jared Leto não se parece quase nada com o Coringa, mas consegue alguns bons momentos.

Com relação ao filme como um todo eu acho que foi uma bagunça pra tentar mostrar quem era quem, mas ficou tudo MUITO corrido (mais do que em Batman v Superman, que apesar da velocidade das coisas achei que funcionou muito bem). A motivação para o time se unir de uma vez foi algo que tenta passar aquela coisa de “somos maus, mas ainda temos algo de bom” que eu gostei e desgostei ao mesmo tempo. A sexualização da imagem da Arlequina foi um pouco exagerada, mas não vejo que isso influi no filme de modo algum, porque souberam trabalhar isso sem tornar algo exagerado DEMAIS. O final foi uma vitória da amizade entre bandidos (próximo do que diz o Pistoleiro antes da batalha final).

Em resumo: vão sem expectativa alguma, e talvez vocês consigam aproveitar bem mais!





Breves Comentários sobre Caça Fantasmas 2016

17 07 2016

Desde o anuncio desse remake/reboot/nada disso desse Caça Fantasmas com mulheres o filme sofreu, indiscutivelmente, uma campanha machista contra ele. Houve quem criticasse o trailer do filme por ser chato, mas já vi filmes horríveis com trailers maravilhosos (SIM FÚRIA DE TITÃS, SEMPRE OLHO PRA VOCÊ NESSA HORA).

Eu não vi o primeiro trailer, comecei no segundo. E achei o trailer no mínimo divertido, momento no qual eu já não estava entendendo o porque de tanto descaso (na verdade já estava, mas não queria aceitar). Na quarta feira, um dia antes da estreia do filme aqui no Brasil, eu assisti a um trailer estendido no canal Sony, trailer esse EXTREMAMENTE divertido e que dava toda a pinta de que tínhamos ali, sim, um bom filme à caminho.

Acabei, inclusive,saindo da minha promessa de reclusão (não iria mais ao cinema esse ano até a estreia de Doutor Estranho) e fui assistir ao filme na sexta feira. E não me arrependi. Temos ali um grande filme, que presta respeito à obra original e ao mesmo tempo traz um novo frescor aos Caça Fantasmas. Não vou me alongar aqui, vou deixar no fim do texto o link de três críticas que achei muito boas. Mas as quatro atrizes escolhidas pros papéis principais (Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Kate McKinnon e Leslie Jones), além de um ótimo Chris Hemsworth no papel do secretário tapado valem o ingresso sem dúvidas!

 

Críticas Indicadas:





Breves Comentários sobre Batman v Superman

22 06 2016

Certa vez eu fiz aqui uma longa defesa de um trailer de Batman v Superman. Após ver o filme eu CONTINUO defendendo, mesmo com ressalvas. Eu realmente acho que a DC está tentando um caminho diferente da Marvel, fazendo a coisa toda acelerada demais em minha visão. Mas como eles conseguem, mesmo assim, amarrar bem a coisa toda creio que não afeta o resultado geral: um grande filme de super-heróis e que, pra mim, tirou o medo que muita gente tinha com relação a Ben Affleck e Gal Gadot.

BvS trindade

Vou na contramão de muitos de meus amigos ao pensar assim, mas eu acho que a crítica que muitos fizeram ao filme é extremamente exagerada, assim como foi com Man of Steel anteriormente. A DC consegue juntar a trindade num mesmo filme de forma realmente interessante, mesmo que em alguns momentos o Batman de Ben Affleck pareça extremamente distante de sua contraparte nas HQs. Mas levemos em conta que ele viu pessoalmente o estrago que o Superman e Zod fizeram em Metrópolis e as diversas mortes causadas pela briga insana dos kryptonianos. Isso deixou Bruce Wayne, que já era o Batman há anos, realmente puto e com vontade de acabar com o Supinho pela destruição desenfreada e as mortes. Ele usou toda a sua força e dinheiro pra conseguir kryptonita pra levar seus planos adiante. Aí houve quem criticasse Bruce Wayne/Batman por ser manipulado por Lex Luthor. Gente, Lex Luthor é uma das mentes mais brilhantes da DC caso vocês não saibam, viu?

BvS Luthor

O problema todo está em que muita gente não conseguia enxergar os personagens de modo geral nos filmes, principalmente o Superman. Mas à partir do momento em que é dito ser uma adaptação eu creio que certas mudanças estão dentro do normal. Exemplo: o final de Watchmen – filme vs HQ. O final do filme, como disse num post sobre Watchmen, é mais crível. Temos o inimigo em comum exatamente o Dr. Manhattan ao invés de uma invasão alienígena. Eu particularmente achei fantástica essa modificação! Já a questão do Superman é que ele, em alguns momentos, parece estar deslocado do planeta em que foi criado desde bebê. Mas isso, pra mim, o torna também mais crível do que ele parecer plenamente humano mesmo com todos os poderes incríveis que ele tem.

Já li por aí que a versão estendida do filme deixa a coisa toda melhor do que a versão do cinema. Espero que realmente o torne um melhor filme, mas eu ainda penso diferente de quem diz que isso o tornará um filme realmente bom, porque isso ele já o é.

Update: assisti nesse fim de semana a versão Ultimate Edition do filme. Eu disse ali em cima que essa versão tornava o filme ainda melhor segundo diziam pelas interwebs, e isso se confirmou. A meia hora a mais de filme cobre completamente alguns furos que o filme que foi pro cinema deixava, mas não de um modo simples: eu digo que torna ele um filme completamente diferente do que vimos. Alguns amigos meus criticam o filme pelo modo como a luta dos dois parece sem sentido, que eles brigam sem muita razão. Em minha opinião essa versão explicita mais ainda as visões que Clark Kent tem do Batman e o ódio de Bruce Wayne ao Superman, ambos magistralmente manipulados por Lex Luthor. A explicação à cena da explosão do Capitólio FINALMENTE é dada, e faz TODO O SENTIDO. O destino de Lex Luthor no fim do filme, e ainda mais o porque dos “sinos estarem tocando e não podem ser parados” também mostra que NADA do que foi cortado poderia ter sido deixado de lado, mesmo com o filme ficando com 3 horas de duração.





Desabafo Dublado

23 03 2016

Eu achava que só políticos queriam tirar o povo de burro.

Descobri que agora as redes de cinema também estão fazendo o mesmo.

 

Nos últimos tempos praticamente TODAS as animações que têm estreado aqui em São Paulo estão com quase 100% de suas sessões apenas dubladas. Muito bem, podem dizer que é pra “valorizar o trabalho dos dubladores” ou “existe algum estudo provando que as sessões legendadas não estão tendo tanto retorno assim”. MAS POR QUE CARALHOS OS MALDITOS CINEMAS NÃO PODEM COLOCAR O CACETE DE UMA OU DUAS SESSÕES NOTURNAS LEGENDADAS? QUAL A PORRA DA DIFICULDADE PRA ISSO??

Parece que Cinemark, Itaú Cinemas, Kinoplex (que achei uma sessão legendada por aqui, numa sessão aleatória às 21h20 no Kinoplex Itaim) e Play Arte (que encontrei também UMA sessão legendada, no Play Arte Bristol às 21h35) pensam que não é válido, que mesmo quem quer assistir legendado é OBRIGADO a assistir dublado porque foda-se. E assim estou evitando ir ao cinema cada vez mais, visto que animação é um dos meus três tipos favoritos de filme. Aí a galera opta por torrent (ou esperar sair no Netflix) pra assistir e os babacas vão perdendo aos poucos público (eu posso até estar enganado nesse ponto, anyway).

Animação ainda é um estilo que consigo assistir dublado, mas que prefiro ver legendado no cinema e deixar pra ver dublado em casa (mas que acabo indo ver dublado no cinema por falta de opção). E eu fico triste com isso. Triste e PUTO PRA CARALHO. PORRA, VÃO SE FODER!!!