Após o Oscar pt. 3: Mad Max

7 03 2016

Eu queria falar agora, nesse terceiro e último texto sobre o Oscar, sobre o filme que saiu com mais prêmios na noite. Sim, estou falando de Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road).

Como eu já falei sobre o filme aqui e aqui, dessa vez vai ser só um texto curto, comentando sobre as categorias em que o filme levou.

Melhor Montagem

A forma como foi feita a montagem do filme como um todo é fantástica. Desde o início, quando Max está fugindo, até a cena da perseguição final, o filme tem uma linearidade espetacular, fazendo a história de tirar o fôlego o tempo todo!

Mad Max

Melhor Edição e Melhor Mixagem de Som

Com relação às duas categorias que envolvem o som eu devo dizer que, apesar de termos um Star Wars na disputa, Mad Max não poderia perder. As explosões, os potentes motores e tudo o mais que fazem do filme a sensação que foi vão ao extremo da qualidade nesse filme.

Melhor Direção de Arte

Fica até difícil falar algo sobre a direção de arte de Mad Max. Tudo no filme salta aos olhos, principalmente os carros, cada um mais maluco e incrível que o outro, passando pelo caminhão com um enorme conjunto de alto falantes que tem lá uma das grandes sacadas do filme: Coma-Doof Warrior, um cego cabeludo que passa o tempo todo tocando uma guitarra que cospe fogo. O QUE MAIS PRECISO FALAR???

Melhor Maquiagem e Penteados

Aqui eu foco principalmente a maquiagem de Immortan Joe. Ela dá realmente um ar vilanesco e até um tanto macabro ao personagem sem ele precisar abrir a boca (quando ele o faz o kit é completo com aquela voz rouca sinistra).

Mad Max 2

Melhor Figurino

Um banho de qualidade naquela coisa chata de época que costuma levar. As roupas de couro, botas e apetrechos deram ao ar apocalíptico do filme o necessário pra ser crível.





Série Filmes do Oscar – Melhor filme 01/08: Mad Max: Estrada da Fúria

11 02 2016

Filme 01/08: Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road)

 

O diretor George Miller resolveu, após 20 anos, retomar a Austrália pós-apocalíptica onde Max Rockatansky tenta sobreviver. E nos proporcionou um momento épico em frente às telas, principalmente pra quem foi assistir no cinema.

Mad Max 1

Ação quase ininterrupta, com momentos de tirar o fôlego e uma fotografia simplesmente deslumbrante.

A história é até simples: Max Rockatansky foge dos demônios do seu passado, enquanto é perseguido por um bando. Após ser capturado se vê em meio a uma perseguição insana, protagonizada por Immortan Joe, que caça uma de suas melhores guerreiras, chamada Imperator Furiosa, que está numa fuga alucinante com mulheres tidas como um meio de Immortan criar sua prole, em busca do filho perfeito.

Mad Max 2

O Max de Tom Hardy tem um pouco do que era o Max de Mel Gibson nos anos 80, mas com um toque mais pessoal do ator. Imperator Furiosa é vivida por Charlize Theron, que rouba a cena em praticamente todo o filme. Nicholas Hoult (pra mim um dos melhores atores da leva atual) também manda muito bem como um dos malucos que pilotam pra Immortan Joe chamado Nux. E Hugh Keays-Byrne (que já viveu o vilão no primeiro Mad Max, de 1979) volta aqui como o incrível vilão Immortan Joe.

De um modo geral considero Mad Max: Estrada da Fúria o melhor filme de 2015, mas ele é um tipo de filme que a Academia nunca premiaria com o Oscar na categoria Melhor Filme.

Mad Max 3





Lá vem o Oscar 2016!

15 01 2016

Como no último post foram os indicados ao Framboesa de Ouro, hoje tem os indicados ao Oscar de 2016!

Bom, basicamente temos “O Regresso” (The Revenant), novo filme do vencedor de melhor diretor do ano passado, Alejandro González Iñárritu, concorrendo a 12 Oscars. Na cola dele temos o surpreendente “Mad Max: Estrada da Fúria” (Mad Max: Fury Road), do diretor George Miller, com 10 indicações.

Bom, vamos aos indicados! Na tabela estará em itálico minhas apostas e com asterisco (*) minha torcida.

FILME

“A Grande Aposta”
“Ponte dos Espiões”
“Brooklyn”
“Mad Max: Estrada da Fúria” *
“Perdido em Marte”
“O Regresso”
“O Quarto de Jack”
“Spotlight – Segredos Revelados”

DIREÇÃO

Adam McKay, “A Grande Aposta”
George Miller, “Mad Max: Estrada da Fúria” *
Alejandro G. Iñarritu, “O Regresso”
Lenny Abrahamson, “O Quarto de Jack”
Tom McCarthy, “Spotlight: Segredos Revelados”

ATOR

Bryan Cranston, “Trumbo – Lista Negra”
Leonardo DiCaprio, “O Regresso” *
Eddie Redmayne, “A Garota Dinamarquesa”
Michael Fassbender, “Steve Jobs”
Matt Damon, “Perdido em Marte”

ATOR COADJUVANTE

Christian Bale, “A Grande Aposta”
Tom Hardy, “O Regresso”
Mark Ruffalo, “Spotlight – Segredos Revelados”
Mark Rylance, “Ponte dos Espiões”
Sylvester Stallone, “Creed: Nascido Para Lutar” *

ATRIZ

Cate Blanchett, “Carol” *
Brie Larson, “O Quarto de Jack”
Jennifer Lawrence, “Joy: O Nome do Sucesso”
Charlotte Rampling, “45 Anos”
Saoirse Ronan, “Brooklyn”

ATRIZ COADJUVANTE

Jennifer Jason Leigh, “Os Oito Odiados” *
Rooney Mara, “Carol”
Rachel McAdams, “Spotlight”
Alicia Vikander, “A Garota Dinamarquesa”
Kate Winslet, “Steve Jobs”

ROTEIRO ORIGINAL

“Ponte dos Espiões”
“Ex-Machina: Instinto Artificial”
“Divertida Mente” *
“Spotlight: Segredos Revelados”
“Straight Outta Comptom – A História de N.W.A”

ROTEIRO ADAPTADO

“A Grande Aposta”
“Brooklyn”
“Carol”
“Perdido em Marte” *
“O Quarto de Jack”

DOCUMENTÁRIO

“Amy”
“Cartel Land”
“The Look of Silence”
“O Que Aconteceu, Miss Simone?”
“Winter on Fire”

DOCUMENTÁRIO EM CURTA-METRAGEM

“Body Team 12”
“Chau, beyond the Lines”
“Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah”
“A Girl in the River: The Price of Forgiveness”
“Last Day of Freedom”

MONTAGEM

“A Grande Aposta”
“Mad Max: Estrada de Fúria” *
“O Regresso”
“Spotlight: Segredos Revelados”
“Star Wars: O Despertar da Força”

MAQUIAGEM E CABELO

“Mad Max: Estrada da Fúria” Lesley Vanderwalt, Elka Wardega and Damian Martin *
“The 100-Year-Old Man Who Climbed out the Window and Disappeared” Love Larson and Eva von Bahr
“O Regresso” Siân Grigg, Duncan Jarman and Robert Pandini

TRILHA SONORA ORIGINAL

“Ponte dos Espiões” Thomas Newman
“Carol” Carter Burwell
“Os Oito Odiados” Ennio Morricone *
“Sicário: Terra de Ninguém” Jóhann Jóhannsson
“Star Wars: O Despertar da Força” John Williams

DESIGN DE PRODUÇÃO

“Ponte dos Espiões”
“A Garota Dinamarquesa”
“Mad Max: Estrada da Fúria” *
“Perdido em Marte”
“O Regresso”

CURTA-METRAGEM

“Ave Maria”
“Day One”
“Everything Will Be Okay (Alles Wird Gut)”
“Shok”
“Stutterer”

ANIMAÇÃO

“Anomalisa”
“O Menino e o Mundo”
“Divertida Mente” *
“Shaun, o Carneiro”
“As Memórias de Marnie”

CURTA DE ANIMAÇÃO

“Bear Story”
“World of Tomorrow”
“Prologue”
“We Can’t Live Without Cosmos”
“Os Heróis de Sanjay”

FILME ESTRANGEIRO

“O Abraço da Serpente” (Colômbia)
“Cinco Graças” (França)
“O Filho de Saul” (Hungria)
“Theeb” (Jordânia)
“A War” (Dinamarca)

FOTOGRAFIA

“Carol”
“Os Oito Odiados” *
“Mad Max: Estrada da Fúria”
“Sicário: Terra de Ninguém”
“O Regresso”

FIGURINO

“Carol” – Sandy Powell
“Cinderella” – Sandy Powell
“A Garota Dinamarquesa” – Paco Delgado
“Mad Max: Estrada da Fúria” – Jenny Beavan *
“O Regresso” – Jacqueline West

CANÇÃO ORIGINAL

“Earned It”, de “Cinquenta Tons de Cinza” (Abel Tesfaye/Ahmad Balshe/Jason Daheala/Stephan Moccio)
“Manta Ray”, de “A Corrida contra a Extinção” (J. Ralph/Antony Hegarty)
“Simple Song #3”, de “Juventude” (David Lang)
“Til It Happens To You”, de “The Hunting Ground” (Diane Warren/Lady Gaga)
“Writing’s On The Wall”, de “007 contra Spectre” (Jimmy Napes/Sam Smith) *

EFEITOS VISUAIS

“Ex Machina”
“Mad Max: Estrada da Fúria” *
“Perdido em Marte”
“O Regresso”
“Star Wars: O Despertar da Força”

EDIÇÃO DE SOM

“Mad Max: Estrada da Fúria”
“Perdido em marte”
“O Regresso”
“Sicário: Terra de Ninguém”
“Star Wars: O Despertar da Força” *

MIXAGEM DE SOM

“Ponte dos Espiões”
“Mad Max: Estrada da Fúria” *
“Perdido em Marte”
“O Regresso”
“Star Wars: O Despertar da Força”





Um Louco nas Estradas *ou Mad Max: Estrada da Fúria*

18 05 2015

Lembro quando foi anunciado o remake de Mad Max (1979). Escolheram Tom Hardy para o papel de Max Rockatansky e o visual pós-apocalíptico de puro deserto seria mantido intacto. Isso era tudo o que eu sabia com certeza até ver o trailer do filme, quando fui assistir a Vingadores: Era de Ultron. Sim, eu estava evitando ver trailers ao máximo. Queria ir ao cinema com a mente praticamente vazia de informações, e estava conseguindo fazer isso. Mas ao ver o trailer a situação mudou. Eu já tinha uma vontade boa de ver o filme, que o trailer potencializou imensamente.

MADNESS

                                                                MADNESS

Durante a semana passada, antes da estreia, uma informação nova veio dos Estados Unidos, que voltou a potencializar a minha vontade (e a de MUITA gente por aí) de ir ao cinema ver o filme: Aaron Clarey, um tipo de ativista pelos direitos dos homens (juro que tô até agora tentando engolir isso) resolveu disparar contra o filme. O motivo: a personagem de Charlize Theron, Imperatriz Furiosa. Segundo Clarey a personagem Furiosa tenta ser mais do que Max, “latindo ordens” ao personagem que dá nome ao filme. “E ninguém late ordens a Max”, também frase de Clarey. Ele se baseia nos TRAILERS para supor isso. Basicamente, um babaca.

Max e Furiosa

                                         Max e Furiosa

Bom, ao ver o filme você resolve pesar as palavras de Clarey. E, como se já não fosse de se imaginar, descobre que é pura besteira. Imperatriz Furiosa é, sim, uma badass de primeira. Mas essa de latir ordens não cola. Ela fica no mesmo nível de Max, ambos personagens com níveis de fodacidade elevadíssimos. Mas a diferença clara entre os dois personagens já tinha sido esclarecida pelos caras do Judão: Max Rockatansky é um cara que não fala muito. Ele age. Ponto. E existe outro detalhe importante aí: Tom Hardy é um ótimo ator, mas Charlize Theron é uma atriz excelente, em minha opinião num nível acima do de Hardy.

A fotografia do filme é esplêndida. O clima desértico chega a te dar sede algumas vezes. Os carros são construções completamente doidas, mas que dá vontade de sair dirigindo um por aí! O maluco da guitarra que cospe fogo é uma loucura que te faz pensar que não precisa mais ir a um show do Slipknot (essa frase foi uma cortesia do amigo Edu, @melts10). E uma coisa interessante: o 3D do filme chega a te fazer pensar se foi ou não gravado em 3D, mas o mesmo Edu me confirmou que é convertido. PARABÉNS AOS ENVOLVIDOS, a melhor conversão 3D que eu já vi!

Em suma, a experiência de ir ao cinema ver Mad Max foi extremamente válida. Um louvável 10/10!