O Girl Power de My Little Pony

20 06 2017

O feminismo é um assunto o qual eu não trataria aqui de forma mais sucinta porque não estou dentro dele, então vou apenas usar meu único motivo pra textos recentemente pra tratar sobre o assunto de forma breve.

Muito vem sendo dito sobre a “revolução” causada pelo filme da Mulher Maravilha, como a personagem finalmente deu voz e imagem ao movimento na tela como nunca antes foi visto (exceto, talvez, por Xena, Sarah Connor, Ripley, Lara Croft, Barbarella, Tank Girl, Aeon Flux, Alice… acho que cada vez que penso a lista aumenta, mas ok), e em animações temos recentemente Korra em Avatar: A Lenda de Korra (que ainda vai além, tratando sobre relacionamento homoafetivo de uma forma simplesmente incrível). Mas existe ainda outra obra que eu venho falando onde isso é tratado de forma talvez sutil, mas ainda mais interessante: sim, estou falando de My Little Pony.

my-little-pony

Praticamente 100% das personagens principais são garotas (as Mane Six, as Cutie Mark Crusaders, as princesas e até as vilãs, dando aqui exceção a Discórdia, Rei Sombra e Lorde Tirek entre os principais vilões da série). Até mesmo em Equestria Girls sempre temos uma vilã (ou antagonista) em todos os filmes: Sunset Shimmer no primeiro, As Dazzlings no segundo, Midnight Sparkle no terceiro (apesar de nesse caso eu apostar mais na diretora Cinch como a verdadeira antagonista) e Gloriosa Daisy no quarto. Entre os personagens ditos principais temos apenas DOIS do sexo masculino: o dragão bebê Spike e Big McIntosh, irmão da Applejack.

cutiemarkcrusaders

Dando mais ênfase às Mane Six, cada uma das personagens tem uma importância dentro do todo, principalmente quando se trata dos Elementos da Harmonia: a honestidade de Applejack, a bondade de Fluttershy, o bom humor de Pinkie Pie, a generosidade de Rarity, a lealdade de Rainbow Dash e a mágica de Twilight Sparkle. Cada elemento separado é o que conduz a personalidade delas, mas unidas elas tem poder o suficiente para derrotar os mais diversos vilões, desde Nightmare Moon no início da série até mesmo as tropas changeling da Rainha Chrysalis. Juntas elas conseguem o poder da amizade, que é o principal foco (mas não o único) da série. Outro ponto interessante é a falta de relacionamentos amorosos das personagens. Em momento algum isso é empurrado goela abaixo do espectador (exceto talvez na busca pelo príncipe encantado de Rarity, mas isso aparece em pouquíssimos episódios). As pôneis são independentes e nunca precisam de uma ajuda extra masculina (e quando isso ocorre é de um modo sutil, mas isso não vem ao caso agora).

0_96365_fca6bbf5_XXL

Tratando das princesas, elas são a realeza de Equestria. A única vez que vemos um REI sendo citado é o vilanesco Rei Sombra, que foi combatido E vencido por Celestia e Luna no passado, e depois pelas Mane Six no retorno do Reino de Cristal. Cada princesa tem sua parte no todo: Celestia governa e traz o Sol toda manhã, Luna auxilia sua irmã e traz a Lua toda noite e Cadance é a soberana no Reino de Cristal, ao lado de seu amado Shining Armor. E aqui vai outro ponto: a importante É Cadance, Shining Armor é apenas seu esposo e auxilia como pode com sua magia.

eb1213ced738be67b906648f07cdbd30

E mesmo com isso tudo vemos que não é o feminismo sendo forçado, e sim tratado com naturalidade, mostrado que a mulher tem SIM sua força e importância, mas não de modo brusco. E isso é uma das coisas que me faz admirar essa série.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: