Mascarados condenados *ou Watchmen*

25 10 2010

Esse eu nunca comentei por aqui. Vai ser uma novidade, aleluia!

Esse filme é uma adaptação das HQs criadas por Alan Moore e desenhadas por Dave Gibbons.

Watchmen traz a história de heróis norte-americanos aposentados, graças a uma lei proibindo-os de continuar exercendo o que fazem. O contexto histórico é diferente: 1985, terceiro mandato de Richard Nixon, que não teve a cabeça pedida graças ao caso Watergate, os EUA venceram a guera do Vietnã graças a um reforço invencível. Enfim, tudo mudou graças a esses mesmos heróis. Quando um deles morre, eles passam a crer que alguém começou uma caça aos mascarados. Eles precisam achar esse suposto caçador de heróis e ainda tem o problema de uma iminente 3ª Guerra Mundial.

Vamos falar um pouco sobre o filme.

Dirigido pelo “visionário diretor de 300” Zack Snyder, Watchmen é cheio de uma das principais marcas do diretor: o slow motion. Um artifício sempre criticado, eu considero Snyder um cara capaz de utilizar-se muito bem disso. Principalmente nas cenas de luta, algo que ele já havia feito em 300.

Os atores vão muito bem. Jeffrey Dean Morgan como Comediante nos enche os olhos. Carla Gugino como a primeira Espectral e Malin Akerman como a Espectral II se saem muito bem. Patrick Wilson surpreende como o Coruja II. Billy Crudup não teve muito trabalho pra viver o quase divino Dr. Manhattan. Matthew Goode faz um bom Ozymandias. Mas é com o Rorschach que você acaba ficando maravilhado. Jackie Earl Haley dá vida ao perturbado mascarado com um vigor digno de aplausos.

Mesmo com algumas diferenças notáveis entre a HQ e o filme, é uma adaptação excelente, do meu ponto de vista. O final foi modificado, mas eu penso que se tornou mais crível.

Vamos a cena marcante, em minha opinião.

Esse filme é praticamente uma cena marcante por inteiro: os créditos de abertura, a luta inicial entre o Comediante e seu algoz, a luta no beco entre a Daniel e Laurie contra uma gangue, a ida de Manhattan e Laurie pra Marte, a luta na fortaleza de Ozymandias, tudo é algo magnífico. Mas é uma cena curta, com pouco mais de um minuto e  aparentemente nada de mais, que sempre me enche os olhos. E quase me leva às lágrimas: o funeral de Edward Blake. Não ele inteiro, apenas o início.

Como eu disse, é uma cena curta e sem nada de mais. Só que ela tem um elemento que a torna simplesmente esplendorosa: o música “The Sound of Silence”, da dupla Simon and Garfunkel.

A cena se dá da seguinte forma: uma tomada do cemitério, se iniciando por uma estátua de um anjo, até sair dele. Vemos o cortejo de carros chegando até a porta do cemitério. Corta para o interior do carro fúnebre, e o caixão com o corpo de Blake é retirado e levado para dentro do cemitério. Algumas pessoas estão lá, incluindo antigos colegas, como Manhattan, Daniel Dreiberg e Adrian Veidt. O caixão é então levado até o túmulo, com uma bandeira dos Estados Unidos sobre ele.

É isso, uma cena curta e sem nenhum tipo de ação, suspense ou até mesmo algo mais mirabolante.

Mas a carga emocional da cena, junto à maravilhosa música “The Sound of Silence” foi o que mais me marcou ao ver esse filme pela primeira vez. E até hoje me marca.

Amanhã, mais um filme e uma cena marcante.

E provavelmente quinta, um resumo das estréias da semana!

Anúncios

Ações

Information

One response

22 06 2016
Breves Comentários sobre Batman v Superman | Meu Lado Cultural

[…] estão dentro do normal. Exemplo: o final de Watchmen – filme vs HQ. O final do filme, como disse num post sobre Watchmen, é mais crível. Temos o inimigo em comum exatamente o Dr. Manhattan ao invés de uma invasão […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: